Análise funcional

Este roteiro ajuda a compreenderem-se as interações entre o comportamento-problema (comportamento-alvo) e as variáveis causantes, por meio de três questões:

  1. O que está acontecendo?
  2. Quais são as circunstâncias?
  3. Com quais consequências?

A Análise Funcional ou Análise das Contingências é um olhar sobre as interações da Tríplice Contingência: (1) antecedente (2) comportamento e (3) consequência.

Paradgma daTríplice Contingência - Análise Funcional

Como o comportamento se instalou e o que mantém a sua permanência na vida da pessoa.

O que se busca não são explicações de causa-efeito, mas relações funcionais que estão operando na manutenção do comportamento-problema ou queixa (sintoma). A terapia tem o propósito de ajudar o cliente a adquirir novos repertórios comportamentais no lugar dos desadaptados, mal aprendidos ou indesejáveis.

A análise tem também como objetivo envolver o cliente na escolha das metas a serem trabalhadas na terapia.

“Através dessa análise funcional (vale relembrar, das contingências em operação), objetivos precisos são formulados, continuamente avaliados e adaptados, de modo a se adequarem às necessidades únicas de cada cliente, ou seja, o foco da atuação terapêutica, reafirmando, está sempre nas contingências determinantes daquele(s) comportamento(s) do cliente” (Lé Sénéchal-Machado, A. M. (1997b). Uma visão panorâmica da terapia comportamental de orientação behaviorista radical. Desafio: Revista Interativa de Ciências Sociais. Julho/97. Rio de Janeiro, Brasil).

Análise Funcional - Quadro