Fale com doçura

Fale com doçuraHá algo gratificante e calmante em alguém que fala com doçura. Durante a maior parte de minha vida achei que essa era uma qualidade que você tinha ou não tinha – nascia-se com uma voz doce ou não. E, e até certo ponto, isso é verdade. Nos últimos anos, no entanto, verifiquei que a voz suave é uma qualidade que pode ser desenvolvida. Se você o fizer, terá de admitir que a recompensa será tremenda e mensurável. Essa recompensa terá um efeito positivo no amor em sua família e em casa.

Quando você fala muito rapidamente ou com voz alta, a energia que envia para o mundo (ou sua casa) pode ser frenética e nervosa. Embora suas intenções possam ser diferentes, algumas vezes as pessoas às sua volta podem sentir pressionadas e ligeiramente agitadas, o que, por sua vez, pode encorajá-las inconscientemente, a se tornarem mais agitadas e irritadas. Em outras palavras, sua voz alimenta um ciclo de energia nervosa. Ela contém poder e autoridade e envia uma mensagem a todos à sua volta. Se você enviar uma mensagem de impaciência e agitação, poderá estar, sem mesmo sentir, diminuindo os sentimentos de amor, calma e respeito em sua casa.

É claro que cada pessoa tem uma voz diferente, um temperamento individual e um estilo de comunicação único. Não estou sugerindo que você (ou qualquer outro) transforme sua maneira de falar, ou que pretenda ser alguém que não é. O que estou propondo é que você tente simplesmente se tornar um pouco mais consciente a respeito da voz que os outros à sua volta recebem. Estou sugerindo, igualmente, que se você fizer um esforço simpático para falar mais docemente descobrirá algumas mudanças surpreendentes, quase instantâneas, em sua casa.

Você, por exemplo, se descobrirá mais calmo e menos estressado. À medida que você acalma a voz, seu corpo inteiro relaxa, assim como a mente. Em seguida, você descobre que, à medida que você se acalma, todos à sua volta o seguirão. Esse último benefício acontece como mágica e oferece alívio à qualquer casa. Embora tenha muito o que fazer, já percebi, centenas de vezes, que quando minhas filhas estão agindo de modo frenético e tolo e eu quero que elas se acalmem, a melhor estratégia é eu me acalmar primeiro. Frequentemente o processo de acalmá-las começa com minha voz, que induz a sentimentos e comportamentos mais calmos. Se você pensar a esse respeito, faz sentido que, ao desejar que outros se comportem de modo calmo, a pior coisa que tem a fazer é gritar e agir como louco. E, no entanto, quantos de nós fazemos isso? A verdade é que, se você realmente quiser que alguém o ouça, a melhor coisa a fazer é suavizar sua voz. Ficará surpreso em verificar como sua plateia se torna mais atenta e respeitosa.

Por favor, honre seu ritmo e sua própria voz acima de minhas sugestões. Se você quiser fazer justiça a essa estratégia, no entanto, se quiser fazer uma tentativa sincera de adoçar sua voz, mesmo ligeiramente, ficará surpreso com o efeito calmante que terá sobre sua família e vida doméstica.

Richard Carlson, Ph D. Não faça tempestade em copo d’água com a família: maneiras simples de evitar que as responsabilidades diárias e o caos doméstico tomem conta de sua vida Ed. Rocco, 2000, p.269.

Psicólogo em Curitiba