Hipnose e regressão

Regressão é um processo terapêutico em que a pessoa acessa diretamente seus arquivos de memória. A técnica possibilita cognitivamente voltar-se a camadas mais profundas dos estratos de sua vida através de um estado ampliado da consciência. Esse ato enseja a busca de recursos guardados de um período saudável para ajudar numa fragilidade atual, como também pode oportunizar a ressignificação de incidentes cruciais de suas experiências, recentes ou remotas, armazenados no seu arquivo mnêmico.

O material embora não lembrado permanece latente, não consciente, influenciando o comportamento atual do sujeito, quer de modo produtivo, quer de modo nocivo, neste caso, formando sintomas orgânicos, cognitivos e emocionais. A regressão pelo manejo psicoterapêutico ajuda a mente a se libertar da influência repressora.

teoria da exclusao psiquica relativa

“Muitos problemas para os quais as pessoas procuram auxílio têm origem em eventos ocorridos nos períodos iniciais das suas vidas. Por vezes elas recordam alguns deles, mas a simples reflexão sobre o assunto normalmente piora o problemas. Regra geral, essas experiências são completamente esquecidas, ou os aspectos emocionais a elas associados ficam bloqueados. A hipnose pode ser usada para descobrir essas memórias ou emoções ocultas. A regressão pode desvendar experiências verdadeiramente traumáticas, até mesmo profundamente angustiantes e bloqueadas a nível de memória normal”. (Hellmut W.A. Karle in Hipnoterapia).

A doutrina psicanalítica centra-se na teoria do núcleo patogênico, constituído na ocasião do trauma decorrente da sedução. O sintoma é resultado do recalcamento. A terapia consiste em exumar à consciência esse material reprimido, como na intervenção cirúrgica.

O resultado do levantamento do recalque é o desaparecimento do sintoma. Em “Análise Terminável e Interminável”, Freud fala que não consegue penetrar em profundidade e extensão suficiente onde o material patogênico que se acha reprimido. E diz: “É mister a regressão”!

“Sem dúvida, é desejável abreviar a duração do tratamento analítico, mas só podemos conseguir nosso intuito terapêutico aumentando o poder da análise em vir em assistência do ego. A influência hipnótica pareceu ser um instrumento excelente para nossos fins. Ainda não foi encontrado substituto algum para a hipnose”. (FREUD, S. Obras Completas, v. XXIII p.262).

Hipnose e regressão em Curitiba