Sono paradoxal

Sono paradoxal – sono profundo – outro nome para o REM-sono ou sono REM – Rapid Eye Movement (movimento rápido dos olhos), porque o EEG (eletroencefalograma) mostra alta atividade cerebral, semelhante ao estado de vigília, estágio 1, enquanto o EMG (eletromiograma) registra relaxamento muscular, mais profundo que o não REM-sono com alta atividade cerebral e atonia (baixo tônus) muscular, acusando ondas de alta frequência e baixa amplitude. Na passagem para esse nível, normalmente, é notada fasciculação (breves tremores na superfície) dos membros. Cada pessoa por noite tem de quatro a seis períodos de REM-sono, curtos no início e longos no final, num ciclo de 90 a 110 minutos, durando de 10 a 20 minutos cada um. Nesses períodos há uma intensa atividade psíquica inconsciente (sonhos) do REM-sono, provocada pelo simpático, por incitação do hipotálamo e lobo límbico, tempo em que se dá o equilíbrio do aparelho psíquico.​ O transe (sono) hipnótico se dá no subsistema parassimpático.  Esse estado traz subidos benefícios ao paciente pelo estado de repouso. Um sono paradoxal em baixo consumo de energia muscular. Esse estado é também definido EEgraficamente como o sono REM – rapid eye movements.  Os processos do pensamento durante o REM-sono são diretamente tocados pelos impulsos de ação prolongada da atividade crônica. É, portanto, um momento de equilibração energética no aparelho mental.